Depoimentos

Depoimento de edilene borges machado

amei o site Advogados Públicos. Gostaria de comprar livros de direitos direcionados para o concurso publico de defensor publico federal e estadual, por favor quais livros devo comprar? espero resposta.
obrigada .

Depoimento de João Inocêncio Jr.

É uma excelente ferramenta posta a disposição por nobres almas comprometidas com a qualidade, aperfeiçoamento e cooperação para os que querem fazer parte dos quadros da nobre advocacia da serventia pública. Sou muito grato.

Depoimento de Fernanda da Paixão C. Ferreira

Fernanda da Paixão C. Ferreira
Agradeço a toda a equipe de colaboradores do site advogados públicos, os quais contribuíram, e muito, rumo a minha aprovação, no ano de 2012, para o Concurso de Procurador do Estado de Minas Gerais. Que a Espiritualidade Maior esteja a guiar o caminho de cada um de vocês, ajudando aos inúmeros companheiros de ideais, os quais - na medida de seus merecimentos - com certeza lograrão êxito em vindouras aprovações.
Muito obrigada pelas excelências intelectuais disponibilizadas, as quais serviram de guia rumo ao caminho da efetiva aprovação!

Depoimento de MONIQUE DIAS TAVARES

Venho por meio desta, na qualidade de Advogada Pública Municipal, de município do interior do Estado de Sergipe, MANIFESTAR MEU REPÚDIO A TODAS AS TENTATIVAS GOVERNAMENTAIS DE DESRESPEITO À ADVOCACIA PÚBLICA EM TODOS OS SEUS NÍVEIS FEDERATIVOS.

Compreendo que o teor do PLP 205 se irmana às tentativas de oposição ao reconhecimento institucional das Procuradorias Municipais, como equiparadas às demais Procuradorias (Federal, Estaduais, Autárquicas e Fundacionais) na difícil missão de exercer de forma independente, autônoma e imprescindível, a orientação dos chefes de Poder Executivo, além do controle e fiscalização da aplicação das verbas públicas.

Apóio o MOVIMENTO NACIONAL DE VALORIZAÇÃO, FORTALECIMENTO E INSTITUCIONALIZAÇÃO SOLIDIFICADA DA ADVOCACIA PÚBLICA NACIONAL. Pois acredito que somente com advogados públicos e procuradores unidos na proteção de suas prerrogativas e atribuições constitucionais poderemos realizar UM COMBATE À CORRUPÇÃO E AO ABUSO NO USO DE VERBAS PÚBLICAS mais intenso, técnico, coeso e, por conseguinte, EFICAZ E EFICIENTE.

Vamos nos unir, apoiando as lutas da todas as categorias da ADVOCACIA PÚBLICA para nos fortalecermos e demonstrarmos que NO BRASIL, A TÉCNICA APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS NA PROTEÇÃO DO INTERESSE PÚBLICO DEVERÁ SE SOBREPOR A INTERESSES POLÍTICOS DE OCASIÃO.

Parabéns pelo sítio eletrônico. Por ele temos mais um instrumento de divulgação da luta da INSTITUIÇÃO CONSTITUCIONAL DA ADVOCACIA PÚBLICA.

Contem comigo.

Depoimento de camila mayra silva

minha genitora esta querendo ver um patrimonia que tem direito eu e meu irmao,motivo para quarta internaçao dele que envolvido com intorpecentes ,como faço pra nao desfazer um patrimonio que e meu tambem,pois sei que vai adiantar de nada interna-lo novamente.

Depoimento de ??????? ???

ugg ?
??????? ???
[url=http://www.jjhzbsm.com/]??????? ???[/url]

Depoimento de Patricia Corrêa Garcia Rodrigues

Olá Daniel,
(...) Quero apenas agradecer a iniciativa de vocês pelo site. Estudei direito ambiental com as questões do quiz de vocês e elas me ajudaram bastante na prova subjetiva de AU. Ainda não saiu a lista dos aprovados, como vocês sabem. De qualquer forma, gostaria de deixar os meus sinceros agradecimentos. Muito obrigada.

Depoimento de claudia marganelli róz

tenho uma netinha de 5 anos e meio, filha de meu filho q não vejo desde que ela tinha 11 meses, pois a mãe dela não permite. meu filho tem um processo para visitas que se torna impossível de se realizar , pois a família da mãe da nenê o agride verbalmente e já o ameaçaram fisicamente. gostaria de saber se eu como avó posso entrar com uma ação para poder vê-la e como fazer isso. grata claudia marganelli róz

Depoimento de Alexandre Maia

Olá amigos!
Estou no 7° período do curso de Direito e tenho uma grande sonho que é ser PFN. Estou no início de minha preparação e quando vejo provas anteriores, o conteúdo programático e as fases que teremos que enfrentar, bate um certo desânimo e me questiono se realmente sou capaz de superar todos esses desafios, principalmente quando vejo provas anteriores e tenho uma ligeira impressão que não sei nada de Direito. Rsrsrsrsrs!!! mais é verdade. Acabei de ler o fantástico depoimento do Dr. João Augusto e vi esses medos e angústias desaparecerem dos meus pensamentos. Estou aqui, iniciante mas, firme e forte para alcançar esse objetivo de vida, sempre contando, a partir de agora, com a ajuda de vocês. Me aguardem, num futuro próximo estarei aí, junto de vocês, como PFN. Grande abraço a todos que participam desse site maravilhoso.

Depoimento de Patricia Corrêa Garcia Rodrigues

Nome: Patricia Corrêa Garcia Rodrigues E-mail: paticgarcia@yahoo.com.br
Olá Daniel e demais membros,
Não vou usar este espaço para responder a questão. Quero apenas agradecer a iniciativa de vocês pelo site Advogados Públicos. Estudei direito ambiental com as questões do quiz de vocês e elas me ajudaram bastante na prova subjetiva de AU. Ainda não saiu a lista dos aprovados, como vocês sabem. De qualquer forma, gostaria de deixar os meus sinceros agradecimentos. Muito obrigada.

Depoimento de CÉZAR

Tenho acompanhado cada questao do site advogados publicos e a diferença que tenho notado na minha capacidade de enfrentar as provas das PGEs que tenho feito pelo país é muito muio muito grande
agradecer aqui é o mínimo que posso fazer
OBRIGADO

Depoimento de José Vantuir de Sousa Lopes Junior

Inicialmente parabéns pelo site, tem um conteúdo ótimo, com informações maravilhosas, para nós que estamos na fase "pré-concurso", obrigado!
Agora não poderia deixar de comentar o depoimento do procurador federal, Dr. João Augusto disposto abaixo, muito bom, fazer a leitura do mesmo é tomar uma injeção de ânimo!!!

Depoimento de Paulo Ricardo Cassol

Um dos melhores depoimento que li

Depoimento de João Augusto Carneiro Araújo - Procurador Federal

A fornalha de fogo ardente e os concursos: meu testemunho.
Meu nome é João Augusto, tenho 23 anos, e terminei a faculdade de direito no mês de dezembro de 2010, colei grau antecipadamente no dia 20 de dezembro, aprovado na OAB (2010.2) e com a graça de Deus tomo posse no cargo de Procurador Federal (AGU) no mês dezembro.2011). É só alegria? Não é bem assim, aliás, não foi bem assim.
Minha jornada nos estudos começa em março de 2005, vestibular para ciências contábeis, bons resultados na prova objetiva, rodei duas vezes na redação. Vestibular para medicina na UFPR, rodei na objetiva. Vestibular para direito em uma faculdade particular na minha cidade, com 2 a 3 candidatos por vaga, pois rodei as duas vezes. Tenho então uma nota razoável no Enem e curso Direito em Curitiba, bolsista de 50% (morei a 100km da faculdade até o final do 4º ano, quando mudo de cidade, eram mais de 5 horas em uma van, mais estágio, pouco tempo para estudar, mas sem cessar).
Fiz meu primeiro concurso, para o porto de Paranaguá, tiro 6,8 e fico em 400 e lá vai bolinha. Concurso para o MPU em 2006 (técnico), com três meses de estudo nas férias, estava confiante, tirei 7,5 e uma colocação para lá de 1000. Concurso para o TRF4a em 2006 (técnico judiciário), fico com 6 e pouco e desclassificado. Concurso para o TRT9a em 2007 (técnico judiciário), estudei também, tiro 5 e pouco e desclassificado. Concurso para o TRE-RS no final de 2008, estudo forte em 3 meses, mais uma vez confiança a Porto Alegre, tiro 7,1 para técnico e 7,4 para analista judiciário, perspectiva de ficar em 200, mas o concurso é anulado. Concurso do TRT15a, estudei bem mais uma vez, vou para Campinas na esperança, na prova de Analista Judiciário minhas canetas me deixaram na mão e ouvi do examinador que não poderia emprestar de ninguém (pense na angustia), mas depois me emprestou, tiro 7 e desclassificado, na prova de Analista Judiciário/Execução de Mandado, tiro 7,5 e tenho minha redação corrigida (7,5), mas fico em 400 e todos. Concurso para o TRE-SC em 2009 (Analista Judiciário), estudo forte e melhor, vou a Florianópolis com muita confiança, até minha mãe tinha sonhado com vitória, prova cansativa e extensa, e tenho o melhor resultado, fico com 7 e pouco na objetiva e 8 e pouco na subjetiva e na 94ª. Sonho de ser nomeado acendeu intensamente, mas o concurso é anulado, depois homologado, depois o CNJ suspende as nomeações (afee). Vou então para Curitiba, e faço o verbo jurídico, no final de 2009, focando o concurso do TRF4a para Analista Judiciário, 3 meses de cursinho de 3 meses de estudo em casa, a preparação que reputava perfeita para aprovação, mas a 184ª em CTBA e 384ª no Paraná. Fiz o TJ-SC (Analista), e se tivesse acertado mais uma questão de português ficaria em 2º lugar em Joinville (nãooooo, eliminado). Fiz para Advogado da URBS e por uma questão não sou aprovado (nãooo, eliminado). Concurso para o MPU (analista processual), 161ª colocação. Ouço de uma pessoa muito especial: “vc nunca passa em nada”, nessas horas as lagrimas são um bom consolo, porque? Era verdade, não passava em nada. Lembro-me da sensação de frustração toda vez que via o gabarito, o ranking no correioweb, os editais de classificação, sempre com resultados ruins ou inexpressíveis (não sei como continuei, só quem estuda sabe da tristeza nestes momentos, e ninguém nos entende, o fardo é maior por isso, é uma derrota nossa, só nossa, mas sei que Deus me olhava e dizia: levanta, continua, apenas continua, porque te reservo o melhor). Neste tempo (em janeiro de 2010) abrem os concursos para Defensoria Pública Federal (DPU) e Procuradoria Federal (AGU), e o que pensar? Estudo, estudo, e estudo para analista/técnico e nada, para esses cargos então nem se fale (aqui uma observação: devemos analisar o perfil da prova, para mim vejo que analista-técnico não bate comigo, pois tenho dificuldade em gramática e redação geral, mas vou melhor nas questões jurídicas, objetivas, subjetivas e na oratória). Mas faço a inscrição. Prova da DPU no início de março, me preparo por umas 3 semanas focado, vídeos no cursinho das áreas de Penal e Processual Penal Militar, Sociologia, Filosofia e Filosofia do Direito, rodei por 7 pontos em uma prova com 200 itens onde uma errada anula uma certa, ou seja, 4 questões de certo e errado (fico com 4,1 e a nota de corte é 4,45), fiquei feliz mas com um sentimento de quase ter realizado o impossível (para mim). Prova para AGU no final de março, assisto os vídeos de Financeiro, Ambiental, Previdenciário, Direito Internacional Público e Privado, matérias que nunca tinha visto na faculdade, resumos, e uma preparação com leis secas e resolução da última prova na última semana. Prova cansativa, 1ª e 2ª fase no sábado e domingo, como na DPU. A objetiva me pareceu horrível, questões difíceis. Mas os vídeos, a base de doutrina, o gostar de olhar os sites do STF e STJ, informativos, muita lei seca, um pouco de intuição, e uma força maior, em uma prova de certo e errado (CESPE), duas erradas anula uma certa, fico com 115, no ranking do CorreioWeb (eita site bom para concurseiro) consigo aprovação, esperança sem tamanho, sai o resultado e estava classificado para inscrição definitiva e após 2ª fase (correção posterior). Sai o edital com as inscrições definitivas deferidas e os eliminados, e acreditem, meu nome não constava, inscrição indeferida, faltava um documento (é uma longa história), tristeza profunda, ligo para meu irmão e me fala para continuar que um dia era a minha vez. Fiz o recurso administrativo.
Eliminado, e se avançasse a situação não era fácil, a 2ª fase foi de matar. Grupo I: no parecer pedem sobre licitação e entendimento do TCU (???? Não fácil ler STJ e STF quem dirá os informativos do TCU), respondi tudo com a 8666/93, financeiro com conceito jamais visto (lei antitruste nela), constitucional (ACP e controle de constitucionalidade), previdenciário (auxílio-acidente para profissional liberal). Grupo II: contestação pela ANTT em indenizatória com base no dano certo, incrível, mas dias antes tinha feito uma inicial no escritório pelos mesmos fatos (buraco na pista pedagiada) contra a ANTT (sabia todas as teses, o que dizer? Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus: Romanos 8, ver. 28), trabalhista (embargos de divergência no TST, errei que o prazo era em dobro – fazenda pública - eita), DIP (personalidade internacional), penal (natureza da pena de multa e repasse: federal, estadual, juris. do STJ). Bom, dias antes do resultado dos recursos adm. e resultado preliminar na discursiva, compro uns livros para a prova oral (mesmo eliminado e com uma 2ª fase impossível), isso foi um exercício de FÉ. No grande dia abro o edital e o impossível começa a acontecer. Inscrição definitiva deferida e recurso provido, vou para o edital da prova subjetiva (intensas discussões no Correioweb, especialmente pela possibilidade da severidade na correção do parecer), tinha esperança se a correção fosse leve, mas começo vendo os primeiros nomes. Para ter uma ideia segue as notas dos primeiros candidatos (ordem alfabética), sendo que o mínimo era 120 para seguir a prova oral em Brasília: 75,26; 113.18; 137,63; 95.59; 113.15, por aí vaí. Foi desesperador o resultado, o temor havia sido confirmado, severidade na correção, vou ao meu nome e vejo o inacreditável, minha nota: 61.45 no Grupo I e 63. 04 no Grupo II e 124.49 no final, das quase 900 provas corrigidas apenas 149 avançam no resultado preliminar, e incrivelmente eu estava confirmado rumo a Brasília (um sonho para mim no 9ª período da facul.). Foi um dos dias mais felizes da minha vida, sensação de ter recebido um presente, muito muito bom mesmo. Em Brasília, fico numa boa banca, após esperar quase sete horas sentados, chego no local as 12:30 e respondo a arguição as 20:00 horas, pressão, pouco de nervosismo, vejo candidatos excelentes, bancas de civil, processo civil, constitucional e administrativo, vou mal no meu forte (constitucional, sobre a AGU), e nota máxima no meu ponto fraco (administrativo: declaração de inidoneidade e vinculação das esferas administrativos, começo respondendo firme, com base na juris. do STJ e tal... pois é tinha lido o informativo na noite anterior com a resposta, rsrs), subo 100 posições na oral. Mais uma luta na sindicância de vida pregressa em agosto (só não perguntaram o nome do meu cachorro). Neste meio tempo, tinha passado na 1ª fase da OAB, mas rodei na 2ª fase (penal: memorias, errei a peça, e reprovo por 0,5 ponto). Tristeza e uma situação delicada: com a AGU mas sem a OAB, nada de cargo de Procurador (desesperador, mas mantenho a força). Tenho aprovação na primeira fase novamente na OAB, e faço o programa de formação da AGU em novembro em Brasília (14 dias mais uma prova objetiva no final), volto e em duas semanas faço a 2ª fase da OAB (agora administrativo, meu ponto fraco), mais uma semana defendo minha monografia na facul. e cuido das faltas para não reprovar (foi tipo panela de pressão nesses dias). Aprovação na facul., na AGU, dentro das vagas oferecidas, e no ultima dia 6 de dezembro vem a aprovação na OAB (2 fase). O resultado foi em uma segunda-feira, estava em Curitiba, na sexta à noite volta para minha cidade e sou recebido com uma festa surpresa em casa por meus familiares, melhores amigos, pessoal da igreja, e uma linda faixa na frente de casa com as vitórias, felicidade que não dá para explicar.
Enfim, posso comparar a minha história e de todos os que sonham com um cargo público com a história bíblica da fornalha de fogo ardente.
Conta a Palavra que haviam 3 jovens (Sadraque, Mesaque, Abdenego) com amor e fé em Deus capturados pela nação inimiga. Em Babilônia, Nabucodosonor faz uma estatua de si mesmo e exige adoração de todos, sob pena de ser queimado vivo em uma fornalha de fogo ardente. Pois bem, o rei encontra resistência desses 3 jovens que se recusam a adorar sua estatua e preferem a fornalha, saindo vivos ou queimando lá dentro, não importa. Resultado, o rei, muito furioso, determina que joguem os jovens judeus na fornalha, aquecida 7 vezes mais que o normal. Determinados, os jovens seguem rumo a fornalha, os soldados que os arremessaram queimam apenas com o calor do fogo. Momentos após, o rei se assusta e vê que há 4 pessoas na fornalha passeando lá dentro (imagino que saltando, pulando, rindo, se divertindo), e determina que eles saiam. Ilesos, não havia nem cheiro de fumaça em suas vestes, recebem glória e honra em Babilônia.
Na minha vida, decidi que não me curvarei a estatua de Nabucodonosor (desistir do sonho), não importa o que o rei e a nação de Babilonia pensam (pessoas que nos cobram por estudar e não ter nenhum resultado), sei que os soldados queimarão (os que nunca confiaram em nós e determinam a nossa derrota), decidi que entrarei na fornalha de fogo ardente (as provas cada vez mais difíceis e mais concorrência), não sabemos se saíremos vivos, mas quando acontecer será alegria, muita alegria.
Sei que na minha vida o indispensável quarto homem dentro da fornalha, foi e é Jesus Cristo, que nos diz: “AO QUE CRÊ TUDO É POSSÍVEL”.
Lembro que ia na rua para a primeira fase da OAB com meu pai cantando “Sadraque, Mesaque, Abdenego, entraram na fornalha e não sentiram medo....”
Pessoal, não tenham medo, entrem na fornalha, é a nossa missão, e quanto mais quente for o fogo (PF > AGU > Mag. Federal > MPF), maior será a vitória.

Depoimento de Adler R

Conteúdo enriquecedor, dicas valiosas e valorização da advocacia pública (atuais e futuros Procuradores). Agradeço de coração por essa oportunidade de adquirir conhecimento através de vocês. Desde quando conheci o grupo, me interessei mais ainda por essa carreira. Abraço

Depoimento de Aloysio Telles

Este site para mim foi uma dádiva, pois apesar de querer muito seguir uma carreira na AGU, ficava meio perdido. Aqui eu consegui boas indicações de livros, exercícios bem direcionados e principalmente, um incentivo muito grande de pessoas que até certo tempo atrás, eram como eu, em busca de um sonho profissional.
Que Deus abençoe a todos que colaboram com este site, e fiquem certos que o maior apanágio que vocês terão será uma instituição (AGU) cheia de membros motivados e o eterno agradecimento de todos que aqui buscam a realização profissional.
Muito obrigado!
Aloysio Telles (Advogado da Casa da Moeda do Brasil)

Depoimento de Maria José Conde Carlesso

Nossa, parabéns pela iniciativa e pelo conteúdo do site!
É a salvação da pátria!
Nenhuma carreira disponibiliza uma preparação tão precisa como esta. É um exemplo.
Abraços,
Maria José Conde Carlesso

Depoimento de Maria Carolina Traete Salviano de Paula

Bela iniciativa, um excelente site! Artigos consistentes e atuais.
Vou divulgar e aproveitar para me atualizar, além interagir com pessoas
que possuem um mesmo ideal, a Advocacia Publica!
Parabéns pela iniciativa!
Abraço,
Maria Carolina Traete Salviano de Paula
Advogada SC

Depoimento de Fernanda

Instrumento de imensa valia para todos os operadores do Direito e, em especial, para aqueles os quais almejam a carreira da Advocacia Pública. Luz no caminho dos idealizadores. Infinitamente agradecida.

Depoimento de Fabio da Silva

Simplesmente Sensacional.